blog
amo branding

Cultura organizacional: o branding da sua empresa precisa dela!

10 de setembro de 2015

É (ainda) pouco comum entre novos e pequenos negócios o pensamento na cultura organizacional como ponto de partida. Postei rápida e resumidamente mente sobre isso no instagram @agbranding semana passada: mais do que palavras, a cultura organizacional aparece em ações, em escolhas, em comportamentos que mostrem o propósito maior daquele negócios, os valores reais que o sustentam e… olha o branding aí, as estratégias que o diferencial da multidão. Do tecnológico Facebook à líder de maquiagens M.A.C., todas as grandes empresas já têm essa consciência. E você deve pegar esse pensamento emprestado desde o dia um, desde o primeiro funcionário, pois, só assim, é possível crescer sem perder o foco e o rumo da sua marca.

cultura organizacional

NO FACEBOOK
O livro de capa vermelha. Assim é conhecida a publicação impressa que, desde 2012, aparece nas mesas dos funcionários do Facebook {segundo matéria do Business Insider}. Em um mix de frases inspiradoras e afirmações sobre os valores e a história da empresa, o objetivo é unir a equipe e inserir funcionários no ambiente ao qual pertencem. Ao fim do livro, há uma chamada para a realidade que é comum no ambiente competitivo e não muito confortável das startups: “Se nós não criarmos algo que acabará com o Facebook, alguém criará – a internet não é um lugar amigável”.

livro Facebook

livro Facebook

NA M.A.C.
Há bastante tempo a empresa de beleza distribui a seus colaboradores a chamada ‘Bíblia da M.A.C.”. À parte de toda a questão mais técnica com descrição e modo de usar os produtos, existe destaque para a maneira de interagir com consumidores e, principalmente, para a importância de ‘vestir a camisa’ da empresa. Sim, porque nessa relação de trabalho empregador-empregados, um empresta atributos ao outro o tempo todo – logo, as imagens de ambos são responsabilidade e preocupação para os dois lados.

A M.A.C. Bible reforça o protagonismo do cliente e coloca funcionários como colaboradores que estão ali para facilitar a vida do consumidor – seja com respostas, com soluções, com atenção, com compreensão. “Você está ali para auxiliar o cliente, não para insistir que ele faça as coisas do seu jeito”, diz um dos trechos da publicação. O foco no serviço também se sobressai na comparação com o produto em si. “Como temos êxito em um universo no qual o cliente tem muitas possibilidades de escolha e acesso a tanta informação? Oferecendo um serviço excelente.” Linguagem corporal, tom de voz e palavras usadas também entram na programação do que é ‘ensinado’ a novos membros do time.

MAC

NA SUA EMPRESA
Mesmo que você ainda seja apenas uma ‘eupresa’, tenha em mente seus valores, seus propósitos, o que te move em seu negócio. É com base nisso que você e seu time saberão no que acreditar, saberão quais nãos devem dizer em prol do sim à imagem da marca, saberão quais metas devem bater e com que objetivo. Cultura organizacional é o primeiro mapa do negócio – antes mesmo do business plan – e é o que vai te permitir planejar, crescer, expandir. No que você acredita? Pelo que você trabalha?

Quer saber mais?! Livros sobre o universo organizacional da Disney são sempre ótimas fontes de consulta sobre como comunicar sua cultura e colocar a excelência como prioridade de cada colaborador. Volto a recomendar O Jeito Disney de Fazer Negócios e Nos Bastidores da Disney.

crédito imagem principal: Prathan Chorruangsak / Shutterstock.com

EXTRA, EXTRA: QUER SABER MAIS SOBRE BRANDING?!
Excelência, propósito, comunicação e outros fatores envolvidos nas estratégias de posicionamento e fortalecimento de marca são parte da programação dos Workshops AG Branding. A última temporada carioca de 2015 acontece na próxima semana e tem 90% das vagas já preenchidas – venha se juntar a estes grupos.

16.09.15 >> Branding Pessoal – como posicionar a marca chamada “você”

, para pessoas físicas que querem valorizar suas marcas pessoais no ambiente corporativo ou em seus próprios negócios: comportamento, mídias sociais, networking, cases de sucesso, foco & a importância da diferenciação e cuidados subliminares que comunicam sua imagem no mundo

17.09.15 >> Princípios de Branding – um panorama geral sobre posicionamento de marca para pequenos empreendedores, profissionais liberais e blogueiros: a importância do branding, imagem visual, casos clássicos de branding como identidade, como comunicar o que se deseja, a importância do padrão, excelência, branding pessoal, mídias sociais, erros de branding e cases de sucesso e rebrand
Detalhes e inscrições em sympla.com.br/agbranding ou no site AG Branding {valor módulo avulso: R$ 290}
p.s. interessados em participar dos dois módulos, podem solicitar a incrição no ‘combo’ com 15% de desconto (valor total: R$ 493) no e-mail contato@agbranding.com.br

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Três erros graves que arranham a imagem de uma marca

20 de agosto de 2015

Serviço é a questão chave do branding. A excelência no atendimento, nos processos, na facilidade oferecida para o consumidor é o que separa as empresas invencíveis de todas as outras. Muito se fala em crise, em dificuldade de crescimento, em mercado retraído – e, não, nada disso é mentira. Mas ao mesmo tempo em que muita gente fecha as portas, outros tantos empreendedores registram crescimentos significativos, abrem novas filiais, aumentam o valor de seus negócios. Regra número um: o valor de uma marca começa pelo serviço que ela presta ao seu consumidor. E é em atitudes e decisões muito pequenas e sutis que você passa a fazer real diferença no seu negócio. Abaixo, três erros letais – e muito comuns – que mancham sua imagem e atrapalham suas chances de crescimento e destaque.

branding erros graves
imagem via Shutterstock

PREÇO? DE ACORDO COM A CARA DO FREGUÊS!
A gente acha que isso é básico demais pra ser falado em um post e que ninguém mais faz isso hoje em dia… mas faz! Com mais frequência do que imaginamos. História real: recentemente, conversando com duas amigas, as vi falando que o grande diferencial de um determinado fornecedor era o preço, que ele realmente era imbatível no orçamento. Não era a primeira vez que as via falando isso. O tal fornecedor, uns anos atrás, me mandou um orçamento que era ao menos três vezes mais caro do que todos os outros que eu cotei. Ouvia a conversa pensando se eu seria a pão-dura, se elas teriam outros parâmetros ou, no mais improvável, se eu tinha recebido um valor inflacionado. Enfim, perguntei sobre números. O susto? O tal preço que eu recebi era algo como quatro vezes mais alto do que o que ela cobrava na época para estas outras clientes. Em resumo: tem que existir uma lógica de valor fixa, uma base-referência, mesmo que seu serviço tenha variações normais de acordo com grau de dificuldade, localização ou qualquer critério que aja como diferencial. As pessoas se falam e, mesmo que não em tempo real, o cara que recebeu o orçamento que é o dobro do que o outro paga {pelo exato mesmo serviço} vai saber. E você vai queimar sua marca pra sempre – não há etiqueta pior e mais difícil de remover do que a de “desonesta”.

ESCOLHENDO CLIENTES…
Na era da abundância de mercado, demanda e reais circulando, ainda podia se entender um fornecedor querer eleger clientes – veja bem, certo nunca é, mas existia uma lógica de demanda x oferta. Hoje, mais do que nunca, só dar atenção ao cliente grande e esnobar o que não parece interessante naquele primeiro momento é pensar pequeno, é se queimar, é perder oportunidades indiretas. TODOS os clientes são interessantes! Mais um caso real para ilustrar, dessa vez o lado bom: enquanto montava meu escritório, consegui a indicação de um colocador de quadros que viesse pregar os meus na parede. Acabei descobrindo que o profissional em questão é especialista de verdade, atende vários grandes arquitetos e tem experiências em compor ambientes com obras de arte. E eu o contratei {por um preço super justo e que não totalizava um valor alto} para colocar meus cinco humildes quadrinhos no meu escritório 3×5! O serviço dele foi tão bom, seu atendimento foi tão impecável, ele foi tão correto e me tratou tão bem que nem precisa dizer que ganhou uma cliente eterna. Minha vontade é sair arranjando quadro pra por em casa, só pela gratidão ao bom serviço. Trate os pequenos como grandes. Não só porque é o correto, mas porque o mundo gira e o grande poderá ser o novo pequeno. E vice-versa!

QUEM É SEU CLIENTE VIP?
Ações com celebridades, presentes para formadores de opinião e serviços deluxe oferecidos para famosos são estratégias que, sim, podem aumentar o alcance e a percepção de sua marca. Eles vão ao seu estabelecimento, são recebidos com tapete vermelho, ganham mimos e, em troca da conta não-cobrada, fazem as vezes de divulgadores do negócio. Uma relação na qual todos podem ganhar, afinal! Mas não esqueça que o maior vip de todos é aquele que escolhe seu serviço entre tantos outros e paga por ele. Há casos reais de lugares que trabalham muito bem a exposição e, no fim, não entregam a excelência no atendimento. Atrair um monte de consumidores e tratá-los aquém do que eles merecem é mais letal do que não atrair ninguém. Escreva nas paredes da sua sala: a estrela é o cliente!

 

WORKSHOP PRINCÍPIOS DE BRANDING PARA EMPREENDEDORES
AG BRANDING RIO | 17.09 | detalhes, aqui


VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Três pequenos negócios e o branding

28 de maio de 2015

Passei uns bons anos da minha vida interpretando como um quê de instabilidade eu ser do tipo que sonha abrir uma floricultura, uma marca de bijoux, uma banca de revistas, um salão de manicure, uma agência de viagens e uma editora de livros, tudo-assim-meio-ao-mesmo-tempo. Mas eis que, num dado momento, o destino me levou ao branding para pequenos empreendedores, num projeto de workshops e {futuramente} consultorias. E tudo passou a fazer sentido: com esse meu projeto, eu consigo participar um pouco de todos esses negócios – e mais alguns outros que eu nunca tinha pensado –, assim, ao mesmo tempo.

Provavelmente por isso, a parte que mais amo nos workshops é quando os participantes se apresentam, falam de seus negócios e dividem comigo o brilho nos olhos em torno de flores, bijoux, revistas, manicures, viagens, livros e mais um montão de outras ideias ótimas. E eu, de fato, acabo me envolvendo à distância em vários destes projetos, porque gosto de saber mais, de acompanhar a evolução, de entender o funcionamento. Poder trazer para o blog algumas das marcas que participam do #WorkshopAGBranding é muito, muito especial! E, por essa razão, eu hoje apresento as ideias de Luciana, Maria Clara e Larissa, que estiveram na primeira, primeira e quinta edições, respectivamente – e cujas marcas me chamaram a atenção. Com seus negócios lançados e conceitos de branding já aplicados, elas certamente podem inspirar quem ainda está em dúvida sobre empreender e/ou sobre a importância do posicionamento de marca numa empresa.

branding em pequenos negócios

LU KOW GLIKAS, SP, IDEIA DA LU
O que é: uma marca de produtos de enxoval & decoração para bebês e crianças com um quê mais divertido e pop
Como decidiu empreender: desde adolescente, invento produtos para vender – já pintei camisetas, já fiz papelaria personalizada… No aniversário de dois anos do meu filho, criei um jogo americano para a festinha da escola e me apaixonei por ele. Foi assim que nasceu a Ideia da Lu!
Branding no seu negócio: é um divisor de águas! É o que difere o trabalho do hobby e passa maior credibilidade para o cliente
O #WorkshopAGBranding me ajudou… as ideias de coerência + persistência + foco eram as palavras que eu precisava ouvir para acreditar mais no meu negócio, colocar um gás e correr atrás! Especificar o nicho e transmitir profissionalismo e confiança por meio da agilidade também foram ações importantes.
Onde encontrar Ideia da Lu: site/e-commerce, blog, Instagram e Facebook

MARIA CLARA AZEVEDO, SP, AS ORGANIZADAS
O que é: uma empresa que presta serviços de organização, que incluem desde a arrumação de um armário ou cômodo até cursos de etiqueta, passando por assinatura semanal de arranjos florais
Como decidiu empreender: as amigas sempre me procuravam para ajudá-las a arrumar armários ou planejar uma festinha surpresa, atividades naturais e prazerosas para mim! O boca-a-boca deu origem ao projeto As Organizadas
Branding no seu negócio: mostra o profissionalismo e dá o devido valor ao nosso produto. Para os pequenos empreendedores, o posicionamento correto ajuda na captação de novos clientes
O #WorkshopAGBranding me ajudou… a criar uma identidade visual que trouxesse uma  imagem de leveza – afinal, procuramos solucionar problemas do cotidiano e assim proporcionar uma rotina mais tranquila. Veio do workshop o conhecimento da importância de ter identidade visual e imagem profissional alinhadas
Onde encontrar As Organizadas: Facebook e e-mail

LARISSA NOVELLO, RJ, LALA LIGHT
O que é: marca de guloseimas caseiras feitas sem glúten, lactose nem açúcar {tudo feito por mim!}
Como decidiu empreender: minha mãe descobriu ser intolerante ao glúten e à lactose. Invadi a cozinha e comecei a fazer guloseimas para que ela não sentisse tanto a mudança no estilo de vida. Quando notei que as estavam fazendo sucesso, decidi comercializá-las e lancei a marca
Branding no seu negócio: mostrar que além de vendermos um produto de qualidade, há um ideal real por trás disso – buscar qualidade de vida mais saudável. Assim, nos destacamos das grandes marcas
O #WorkshopAGBranding me ajudou… compreendi que eu deveria ter bem concretizado por que eu faço o que eu faço!
Onde encontrar Lala Light: site e Instagram

Também quer participar do Workshop AG Branding?! A última turma deste semestre acontece em 16 de junho em São Paulo. No momento (27.05), as 60 vagas estão preenchidas, mas há cinco pré-reservas ainda não confirmadas com validade até o fim de semana – em caso de desistência, elas serão repassadas a interessados em lista de espera por meio do e-mail sp6 @ agbranding.com.br!


VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…