blog
amo branding

Como contratar influenciadores reais para sua marca

2 de fevereiro de 2017

O papel dos influenciadores digitais é, em 2017, conhecido e reconhecido. Donos de marcas já entendem a importância desta mídia tão nova, mas, ao mesmo tempo, tão certeira na hora de divulgar suas empresas e produtos. Mas quem vê número de seguidores não (necessariamente) vê engajamento real e é aí que mora o perigo! Para que uma ação tenha resultado – em vendas ou em conhecimento de marca – é preciso ter em mente que nem todos os números são de fato reais. Como contratar influenciadores sem errar nem ter efeitos aquém do esperado?

como contratar influenciadores

Nos workshops AG Branding para Blogueiros, é sempre explicada a importância de ter seguidores reais, em números que crescem organicamente. A tentação de colecionar muitos Ks existe e está por toda parte; abrir mão das inúmeras “propostas irrecusáveis” de aumentar seu alcance às vezes te faz parecer o único que vai ficar para trás em relação a seus concorrentes.

followers

Perfis de todos os tipos do instagram recebem estas propostas semanalmente; os nomes dos vendedores foram apagados para não compartilhar suas identidades, pois se há a demanda não há como culpar a oferta – e cada um tem livre arbítrio para decidir o que julga melhor para suas compras e vendas (o post NÃO faz um julgamento de valor, apenas expõe o funcionamento digital para ajudar a quem precisa tomar decisões e medir expectativas de resultados!).

Hoje há, inclusive, muitas empresas que maquiam a venda de seguidores chamando de “divulgação de perfil” ou prometendo “seguidores reais” e existem casos de pessoas que compram sem nem saber que estavam fazendo algo errado. Mas se você, influenciador, caiu nessa, a recomendação é que até recomece do zero. Programinhas que aumentam números, pacotes de likes e esquemas de follow-unfollow já são claramente identificados por quem é da área e sua marca acaba ficando prejudicada. O único crescimento autêntico é o orgânico. Mas o post hoje é voltado para as marcas que desejam contratar influenciadores – e em como elas podem identificar números irreais*.

* Por números irreais, entenda que existem perfis fake criados apenas para inflar números de contas. São geralmente criados de forma automática e não há, então, pessoas por trás deles. São apenas números – e números não curtem, não comentam, não consomem. Por essa razão, se diz que são irreais, já que não representam um alcance real!

PROPORÇÃO SEGUIDORES X ENGAJAMENTO
A primeira maneira de identificar seguidores era observando a proporção entre eles e o número de likes em cada foto. A média mínima é de 1% de engajamento – o que significa que uma conta com 10k terá cerca de 100 likes por imagem postada. Há variações: claro que algumas imagens podem não alcançar essa média, mas elas serão uma exceção e não uma regra – da mesma forma que outras postagens poderão ter engajamento proporcional bem acima do 1% mínimo. Este é o primeiro ponto ao se analisar um perfil.

OS PACOTES DE LIKES (VAZIOS)
Como a relação seguidores X likes se tornou conhecida, o próximo passo das empresas de “assessoria para instagram” foi incluir pacotes de likes em seus produtos automatizados. Sim, isso signfica que a cada foto postada há a garantia de curtidas mínimas. Esse pacote é facilmente notado quando você clica na lista dos perfis que curtiram: muitos estrangeiros, vários com @s em códigos, todos visivelmente nomes que não fariam parte do grupo de interessados reais naquela postagem (pela descrição, pode parecer algo subjetivo, mas é bem fácil de identificar). Em boa parte das vezes, o pacote de curtidas sobe de uma só vez, fazendo com que perfis não tão grandes acumulem em minutos algumas centenas de likes – o que seria incompatível organicamente. Engajamento hoje deve observar comentários (embora infelizmente até estes já estejam disponíveis para venda e/ou esquema de trocas em grupos).

pacotes de likes

FOLLOW-UNFOLLOW
Uma técnica bastante usada por programas que automatizam os números é seguir milhares (literalmente) de perfis, geralmente na madrugada, para conseguir a contrapartida – o famoso “segue de volta”. Por isso, vale observar se a lista de contas seguidas acumula muitas dezenas de milhares de perfis e/ou se segue muitas pessoas como as citadas na imagem acima, sem nenhuma ligação aparente com o interesse real da @. Outra maneira fácil de identificar é a variação constante: numa noite o perfil segue 500 contas; na manhã seguinte está seguindo 3k; mais adiante, retorna a seguir 1k. Toda e qualquer variação que parece impossível de ser feita por um humano geralmente é efeito de automatização.

seguindo
que tal seguir 212k perfis?!

INFLUENCIADORES DE NICHO
Por fim, um tópico que não tem ligação com os esquemas de números automatizados, mas que também deve ser levado em conta pelas empresas ao escolher representantes digitais: um perfil de 5k pode dar muito mais resultado que um de 500k em alguns casos. Como?! Imagine que o anunciante é um pet shop do bairro X. O perfil de 5k tem conteúdo voltado apenas para dicas daquela região, enquanto que o de 500k fala de assuntos que o trazem seguidores espalhados por todo o Brasil. Dessa forma, entende-se que 100% da audiência do perfil 5k é formada por consumidores em potencial do tal pet shop, porcentagem infinitamente superior a do perfil 500k. Principalmente se sua empresa é de nicho – por região, por mercado, por público-alvo – e pequena/média, isso deve ser levado em conta!

Mais uma vez vale resssaltar que este post não faz julgamento a quem opta por comprar – ou vender – números. Todos os negócios existem porque há demanda e oferta e o mercado é verdadeiro culpado, pois induziu a isso quando passou a medir influenciadores meramente por seu número exibido de seguidores. O foco deste texto é ajudar a empresas menores, que nem sempre conhecem os mecanismos digitais, a investirem em parcerias que de fato venham a trazer os resultados esperados.


VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Dica-blog: quatro cursos para evoluir como blogueiro

12 de janeiro de 2017

Quando uma pessoa decide abrir uma empresa, é esperado que ela entenda um pouco de cada área – por mais que ela seja de criação ou especialista em marketing, vai precisar ao menos saber ler um fluxo de caixa, por exemplo. Ter um blog com bons resultados (de alcance, engajamento ou retorno comercial) segue o mesmo pré-requisito. Ser blogueiro parece (e até é, de certa forma) algo simples, fácil e acessível a todos, mas as melhores páginas costumam ser aquelas em que o autor se envolve no processo como um todo. Porque até para saber pedir/encomendar job, é necessário saber como funciona!

Nesta edição da tag dica-blog, que reúne posts com dicas de branding e técnicas digitais para blogueiros, veja quatro sugestões de cursos que tornam um blogueiro mais completo e preparado para a função – seja um blog comercial, hobby ou ferramenta de comunicação para uma marca ou profissional.

cursos para blogueiro
imagem máquina de escrever via Shutterstock

O INÍCIO DE TUDO: COMO OPERAR A PLATAFORMA
O WordPress é o formato mais usado para blogs de todos os perfis – e, se não usa este, considere fortemente a migração. É também a ferramenta mais completa, com mais funções e mais intuitiva. No entanto, é comum que não se saiba operá-la corretamente. Um curso básico ajuda não só no dia a dia de programação de posts, mas também em instalação de plugins, personalizações básicas de layouts e o beabá inicial que otimiza o processo todo. Clique para conferir a programação do curso de WordPress no DRC.

POSICIONE PARA SE DIFERENCIAR: O FOCO DO BRANDING
Nicho. Este é o segredo para conseguir um bom engajamento neste mar de urls que disputam pela atenção dos leitores hoje em dia. Entender sobre as estratetégias de posicionamento de imagem de marca te ajuda a comunicar melhor seu conteúdo. Branding para Blogueiros da AG Branding tem, ainda, uma segunda parte dedicada à parte técnica: plugins, dicas de layout e tudo mais para otimizar seu blog e melhorar sua audiência. Depois de sete apresentações entre SP e Rio, o módulo terá sua última edição em fevereiro – ainda restam algumas últimas vagas, aqui!

O VALOR DA ESTÉTICA: IMAGENS TRADUZEM CONCEITO
O cuidado na composição visual do blog faz toda a diferença na maneira como ele será percebido por leitores em potencial. Do layout às fotos usadas, imagem é tudo! Um curso foi desenvolvido sob medida para atender a esta demanda de produtores de conteúdo: um fotógrafo e uma designer se uniram para um módulo intensivo de Fotografia & Photosop. Saiba clicar, tratar e compor imagens, sua página pode ganhar um baita upgrade! Informações sobre o Photo Salon aqui.

O BOM TEXTO (AINDA) É DIFERENCIAL: ESCREVA MAIS & MELHOR
O post bem escrito tem mais credibilidade; o texto bem construído envolve o leitor; as palavras em uma composição correta criam o desejo da leitura. A prática (ler e escrever) leva à evolução, mas bons cursos com bons profissionais sempre trazem técnicas que auxiliam neste processo. Vale sempre conferir a programação da Cásper Líbero.
p.s. há também um incrível módulo de Jornalismo de Moda com Alcino Leite Neto, ainda sem novas datas definidas – se inscreva no site para receber avisos de novas turmas.

 

 

AG BRANDING PARA BLOGUEIROS: INSCREVA-SE AQUI!


VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…

Estudo de caso de branding pessoal: a vegana Alana Rox

5 de janeiro de 2017

O ápice de uma marca pessoal bem posicionada é quando o indivíduo vira uma espécie de sinônimo de sua especialidade. O primeiro nome lembrado, o expert, a referência. É quando ele se apodera de seu nicho, se tornando “dono” dele. O efeito? Um profissional à prova de concorrência, com demanda ininterrupta – afinal, mesmo em um mercado como o de remédios, com genéricos legalizados, a procura pelos originais sempre terá espaço de destaque e preferência.

A introdução é para apresentar o recente case de Alana Rox, dona da O Diário de uma Vegana, marca que tem redes sociais, livro e programa de TV. Alana vem cada vez mais sendo uma referência quando se fala de alimentação vegana para um público leigo. Pouco a pouco, aumenta seu alcance e engajemento, de forma orgânica, bastante natural. O segredo do posicionamento bem feito? O cuidado com cinco fatores fundamentais no branding pessoal.

branding pessoal Alana Rox

FOCO: MERGULHE EM UM NICHO DE POSICIONAMENTO
Se você quer vender tudo para todo mundo, pode acabar não vendendo nada para ninguém. O nicho facilita a diferenciação, reduz a concorrência direta e fortalece a especialidade, além de ajudar a ter uma história para contar – ideia número um do branding. Alana se posiciona dentro do veganismo com um estilo de vida natural e saudável, didático, fácil e acessível a leigos.

A HISTÓRIA POR TRÁS DA MARCA
Saber por que você escolheu determinado nicho e ter uma narrativa – VERDADEIRA! – por trás da escolha são pré-requisitos para uma marca pessoal forte. Alana conta dos efeitos positivos do veganismo em sua vida, sendo a melhor garota-propaganda do estilo que prega. Ao compartilhar como a alimentação trouxe mudanças em sua saúde, traz para perto pessoas que se identificam com a história. Além, é claro, de fortalecer a coerência em tudo que faz.

ATENÇÃO À IMAGEM
Não é superficialidade: todos tiram conclusões com base no que os olhos veem. Ao pregar um estilo saudável, é importante que Alana represente o que afirma – pele e cabelos bem tratatos, por exemplo. Além da coerência com o nicho, a boa imagem também ajuda na primeira impressão em geral. Não se trata de beleza ou determinados padrões, a questão é em torno de cuidado pessoal e adequação ao conjunto.

A COMUNICAÇÃO QUE APROXIMA
Redes sociais hoje permitem uma relação direta entre marca e público. No online e no offline {dando aulas de culinária Brasil afora}, Alana se aproxima de quem se interessa por seu posicionamento, o que fortalece cada vez mais sua imagem como referência da área.

OFERTA DE CONTEÚDO
Se você quer vender – produto, serviço ou imagem pessoal –, é preciso antes oferecer algo que comprove seu posicionamento, atraia público e passe confiança em sua marca. Por essa razão, a produção de conteúdo online é pré-requisito fundamental. A custo zero, em um blog e/ou rede social, um profissional compartilha conhecimento, cativa clientes em potencial e fortalece sua imagem. Antes de vender aulas e livros, Alana divide todo seu repertório de especialista no veganismo. O aumento do desejo em seus produtos é consequência direta.

No mais, paciência e tempo ao tempo! Uma marca não se constrói em duas semanas e ter consistência e persistência é fundamental. Insista, insista, insista, sempre com todas as partes da estratégia sendo atendidas. Branding não é uma ciência exata e, por isso, é impossível dizer quanto tempo leva para um posicionamento dar resultados, mas imagine algo em torno de dois anos em média para efeitos mais perceptíveis.


VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE LER…